Advogados espanhóis defendem pacto de Estado pela Justiça

Advogados espanhóis defendem pacto de Estado pela Justiça

Advogados espanhóis defendem pacto de Estado pela Justiça

A maioria dos advogados espanhóis considera que a justiça enfrenta uma crise muito grave e profunda, necessitando de uma autêntica refundação de modo a adequá-la às realidades sociais. Daí que 92% reclame um novo pacto de Estado.

Esta é uma das conclusões do VI Barómetro Interno da Abogacía, divulgado esta quarta-feira e segundo o qual 91% dos inquiridos defende que os governos, independentemente da cor política, tentam controlar a justiça, em vez de empreenderem medidas para a sua modernização e eficiência. Os advogados consideram que os problemas da justiça decorrem da forma como está organizada (79%), que é mais próxima do século passado do que do século XXI.

Sobre a profissão, o barómetro permitiu concluir que os advogados reconhecem que a crise económica está a afetar as sociedades, mas, em contrapartida, a qualidade, a competência profissional e a atenção aos direitos dos cidadãos e aos novos problemas sociais estão a melhorar.

Assim, 95% dos advogados reconhece que muitas firmas enfrentam sérias dificuldades, o que traduz um crescimento de 21% face ao mesmo entendimento manifestado no inquérito de 2008. Mais de 40% dos inquiridos afirma que os rendimentos profissionais estão abaixo do nível médico, com 51% a fazer um balanço negativo do estado económico da profissão.

Estão, no entanto, satisfeitos com os órgãos que os representam, isto é, os Colégios Profissionais, que consideram importantes para um melhor funcionamento da advocacia. O Conselho Geral da Abogacía Espanhola registou, este ano, uma pontuação de 6,1, contra 5,1 em 2003.

advocatus@briefing.pt


Fonte: advocatus.pt