China quer saber mais sobre a mediação e arbitragem em Portugal

China quer saber mais sobre a mediação e arbitragem em Portugal

O ILMAI (Instituto de Mediação e Arbitragem Internacional) é o anfitrião da comitiva de representantes da Procuradoria-Geral de Pequim que visita hoje, 17, Portugal. Os representantes chineses pretendem conhecer melhor a experiência do ILMAI, assim como a estratégia do instituto para os Países Africanos de Língua Portuguesa (PALOP).

A comitiva chinesa reúne-se com o presidente do ILMAI (Fernando Tonim) e com a conselheira os Julgados de Paz Noémia Anacleto.

Depois de a China se ter tornado um dos principais investidores em Moçambique, quer agora perceber mais sobre estas formas alternativas de resolução de litígios, principalmente por todos dos contratos internacionais terem uma clausula de mediação e arbitragem.

Os contratos internacionais são compostos, habitualmente, por uma cláusula de mediação e arbitragem. Depois de a China se ter tornado um dos principais investidores em Moçambique, o país preocupa-se agora em saber mais sobre estes meios alternativos de resolução de litígios e sobre a experiência do ILMAI nos PALOP.